segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Viagem

(Desconheço o autor)


Concha úmida de contornos ondulados,

Acolhe oceano em dobras de êxtase pleno,

Trás para si um mar de emoções.

Faz com que instantes de amor e entrega

Comecem a tramar destino.


A intimidade dos sentidos tece

Uma vida espessa no oceano.

Contrações explodem em ondas

Atormentando a vida que dorme.


Ela vaga invisível num barco oculto,

Num mar sem margens, numa orla de dor.


Instinto migratório que busca vida terrena.

Sopro divino, espiral eterno,

Fenda de luz mostrando-se ao barco.


Transporta vontades, move mãe oceânica

Prepara a passagem final ao porto.

Travessia de entrega, redonda, quente,

Quase palpável e sempre eterna!

2 comentários:

FlorDeLótusAzul disse...

Minha doce e encantada Fadinha, seu Blog está lindo. Suas poesias sempre me fascinaram.
Sucesso!
Beijo

Paulo disse...

Olá, Rachel

Seus Cintilares, iluminaram meu sentir!
São quase palpáveis...serão eternos em mim!

Lindos poemas, intensos...Como
"o sibilar do seu encanto"

Grato!