sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Saudade

Tela de Alicia Woodman

Que saudade é essa
Que passa
Que teima em chamar.
Que transpassa
E enreda voltas
Por um suspirar.

As lembranças vazam
Uma dentro da outra.
Minha memória acordada
Forma palavras
Que reproduz
Saudade.

O imaginário trazendo
Fantasmas feitos de vento,
Tormento.
Encubro o passado
Com meu grito de
Saudade.

4 comentários:

Dolores Quintão Jardim disse...

Olá doçura!

Sabes que amo este poema...
É lindooooooooooooo!
beijos.

Manuel Marques disse...

Em jeito de homenagem publiquei um áudio deste poema!!! Ainda é preciso dizer que gostei? Espero também que gostes do meu modesto áudio! Beijos e abraços!!!

Manuel Marques disse...

Em jeito de homenagem publiquei um áudio deste poema!!! Ainda é preciso dizer que gostei? Espero também que gostes do meu modesto áudio! Beijos e abraços!!!

Anônimo disse...

Quero sim meu amigo. Poste aqui e agora.

Rachel Moraes