segunda-feira, 13 de julho de 2009

Salomé

Tela de Canato



Sou essa Salomé que me falas.

Sou serpente a arder encantos,

Lânguida, sibilando,

Nos contornos que de mim exala.


Danço na esfera obscura dos sentimentos.

Oscilo na noite dos tempos,

Uma seda vaga de juventude e brilho.


Dispo a aura de fatalidade,

Para te dizer que tenho andado como a rosa,

Áurea trama abrindo pétalas como um livro.


Vem você que me espia

Prove desse veneno que pulsa.

Vem comigo e escuta,

O sibilar de meu encanto.

7 comentários:

emilio almeida disse...

sentimento e alma em cada palavra se sente o que esta escrito

Menina do Rio disse...

Danço despida e lânguida...

Dolores Quintão Jardim disse...

Lendo...dá uma sensação de quero mais!

Emanuel disse...

Vim passear, sorri! Com suas palavras alegrei a alma, impossível não voltar buscar sentimentos com mais serena calma.

Abraços, Florista!

Leninha disse...

eu ja estou tão acostumada com a perfeição que escreves que apenas me alimento qdo venho ...
maravilhosoooo
beijo de Sol.

"Scacição" disse...

"Oscilo na noite dos tempos...

tragada disse...

Rachel,

Doce. Sentimentos, sensações, desejos...
Numa perfeita alquimia transmutam-se em palavras, versos, poemas!

Lindo o que acabei de degustar!
Bjus

Kryss