quarta-feira, 21 de março de 2012

Homem Pássaro


 (Desconheço o autor)


Procurei-te à beira das nascentes,
Nos que carregavam cântaros junto ao rio,
Nas esferas ondulantes do sol,
E na flama do éter
Da atmosfera escaldante.

Não te achei,
Pois sonhavas um tempo de aguaceiro,
No vale das trevas.

A harmonia do mundo
Ia e vinha dentro de mim,
Enquanto te buscava.
A força do sangue corria,
Levando junto o mistério.
A visão de tua face preservada,
Num gemido abafado de dor,
Entorpecia meus sentidos.

Estavas só, dentro do silêncio e da busca.
Passei por todos os recantos sombrios
Esbarrando nos emaranhados da escuridão.
Não te encontrei no labirinto obscurecido,
Nem nos regatos das nascentes perdidas.

Corri os jardins da Terra
Procurando o caminho que bifurcara,
Antes de te perder.

Estavas só, como um menino perdido.
E em delírio, tragado pelos dedos da noite.
Dançavas numa luz hipnótica,
E no lugar de teu repouso
Enrolava-se ao vento
E girava em esplendor de voo.




27 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Não publicas com muita frequência, mas a tua poesia é excelente.
Sou teu fã...
Beijinhos.

docerachel disse...

Nilson sou de fases e com um tempo que teima em correr de mim.
Grata pelas palavras.
Vivo delas.

Nilson Barcelli disse...

Espero que a tua próxima fase poética dure a vida inteira...
Enquanto não publicares, vou lendo para trás...
Beijos.

Arnoldo Pimentel disse...

Sempre lindos e profundos seus versos.Bom demais te ler.Beijos.

MARIA DA FONTE/ Manuela Ferreira disse...

Gostei muito do que vi. Lindo poema. Abraços

Sonhadora disse...

Minha querida

Hoje passando para desejar uma Páscoa Feliz e cheia de amor e paz, junto de todos que lhe são queridos.

Beijinhos com carinho
Sonhadora

Nilson Barcelli disse...

Doce Raquel, voltei para te ler.
Mas ainda não publicaste mais nada. Falta de tempo ou de inspiração?
Beijo, querida amiga.

O que Cintila em Mim disse...

Estou com o tempo super tomado. Um conto meu vai ser filmado e ando as voltas em colocar diálogos e deixa-lo viável para a tela.

Logo posto aqui. Um grande abraço.

rosadocairoshannyalacerda disse...

Menina que chique! Mais Parabéns porque tua voz é muito radiante, profunda. Espero que voltes logo e que a filmagem seja um sucesso!
bjins

MARIA DA FONTE disse...

Aqui, sim, é que se escreve muito bem. Parabéns pelos excelentes textos que pude ler.
Abraços

efa disse...

Hola mujer, que alegría volver a leer tus comentarios, en serio.
Besos! espero cruzarte

Anna Amorim disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anna Amorim disse...

Rachel,

O homem distante.Sempre profunda nesta temática.
Encantada.

Beijos doces e encantos para teu domingo,

Anna Amorim

Lua. disse...

Olá desculpa á invasão,mas entrei para da uma olhadinha,e adorei.
Vc está de parabéns e já estou a seguir bjs.

Arnaldo Leles Ferreira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
docerachel disse...

Grata a todos que passam por aqui e deixam palavras de incentivo.

Arnaldo Leles Ferreira disse...

Doce Rachel, pelo pouco que li,
estou impressionado.
Além da profissão em comum,
temos um estilo muito parecido de
escrever poesia. Dê uma olhada nas minhas postagens antigas se puder. De cá, fica predito que vou ler todos os seus poemas.
Foi um Prazer!
Abraço!
Arnaldo Leles

docerachel disse...

Caro Arnaldo, eu li suas poesias e não consegui me achar em nenhuma delas, mas se vc se encontrou nas minhas, que lhe seja um bom caminho.
Devo dizer que apesar de não me identificar com elas, vc escreve com sentimento e elas são muito lindas.

Prazer enorme em conhece-lo.

Carla Diacov disse...

duns ângulos ele parece uma cadeira!



beijos!

Arnaldo Leles Ferreira disse...

Lógico, vc tem razão!
Estive empolgado. Minhas desculpas sinceras!

Pedra do Sertão disse...

Só não vale parar de procurar!

Abraço do Pedra

Carla Diacov disse...

ATUALIZA!
ATUALIZA!!!


BEIJIM!

Graça Pereira disse...

Maravilhoso poema. Li e...fiquei!
Beijo
Graça

Anônimo disse...

Rachel:
Este poema que muito admirei e comentei,
parece ser de autoria de:
Abílio Terra.
Desculpe pensar que fosse seu; é que'u não havia lido as letras miúdas que dizem:
(desconheço o autor)
Entrementes que isto não invalida
o respeito que tenho por seu trabalho Rachel.

Abraço! Arnaldo Leles Ferreira(Coment. acima)



.

docerachel disse...

Caro senhor Anônimo, este poema sempre foi meu. Desconheço esse Abílio Terra, mas se ele se achar lesado, que entre em contato comigo e prove que o poema é dele. Eu tenho todos os meus poemas sob registro. Quando eu disse que desconhecia o autor, me referi a foto, pois sempre posto os créditos nas fotos ou pinturas que uso para ilustrar meus poemas. Pelo que me consta, todas as vezes que vc não souber o nome do autor deve escrever (desconheço o autor).

docerachel disse...

Depois dessa dúvida sobre este poema ser de outra pessoa e não meu, eu procurei o senhor Abílio Terra via Facebook e a resposta dele é esta:

"Rachel Moraes, parece que houve um mal-entendido. Eu tenho um site, há muito tempo, chamado Os Homens Pássaros, nome também de um poema da minha autoria. Se quiser visitar, terei muito prazer em recebê-la, o link é www.oshomenspassaros.com.br O seu poema, que é lindo, nada tem a ver com o meu site e o meu poema. Tenha um ótimo feriado. Abraço."

Anônimo disse...

Rachel, peço desculpas (a ambos), por eu ter açodado, e a parabenizo pela belíssima obra.
Sim, comentei na categoria de anônimo, porque já não tenho mais blogs. Venho dando um tempo, após uma série de perseguições(anônimas).
Não obstante,
verás que o comentário foi por mim assinado.

Espero que possas perdoar,
a quem muito a sua obra impressionou.

Paz!
Arnaldo Leles



.