segunda-feira, 24 de março de 2008

Luz

Desenho de John William Waterhouse


Minha sombra vai calada
Pelas águas desse rio.
Meu reflexo é a dor
Que vai em meu peito frio.

As flores que ficam as margens,
Olham quietas para mim.
Meus olhos estão perdidos
Dentro das águas sem fim.

Estou imóvel como num sonho,
Parada, esperando a dissolução do medo.
E você vai surgir, perene,
Através de uma luz clara e líquida.
Ondas envolventes me atravessarão
Dissipando minha dor.

3 comentários:

Leninha disse...

Aprecio tudo que escreves querida...
Luz...ficou umido...como deveria ser...
gota d'gua...lembrança...brilho...

carinhos ser lindo.
Leninha

arterapiaanamaria disse...

Minha DoceRachel,seu toque é uma ordem.
Dissipidando minha dor.
A vida é como a agua levando nossas esperanças.
Tu és mágica nas palavras bem colocadas.
Lindo.
Beijos.

Manuel Marques disse...

A esperança é sempre a última a morrer... mesmo nas trevas do pensamento, porque muitas vezes basta olhar para o lado e a Luz está lá! Bravo!!! Beijos!