sábado, 30 de maio de 2009

Nosso Futuro

Tela de Dino Valls



Andei formulando um sentido,

Criei uma imagem num mapa

Que representasse seu enquadramento

Em minha vida.


Desordenaram-se as linhas

Apagando o caminho desenhado.


Um véu de emanações tardias

Enrolou-se nas coisas ditas.

Mostrando-me, enfim, a tênue linha

Que nos prendia.


Nossa vida singular era delírio,

Não passava de invenção,

De um plano imponderável.


Contido nas linhas escritas,

Foi incapaz de suportar a travessia,

De alcançar um outro lugar para a verdade.


Nosso futuro ficou sem infinito,

Ficou solto, em algum lugar

De meu plano escrito.

4 comentários:

www.manuelmarques.com disse...

A vida é isso mesmo, uma ténue linha que nos prende a esta dimensão e por vezes a obsessão pelo reverso é tanta que nos escapa a felicidade que tanto almejamos!

Bjs!

Dolores Quintão Jardim disse...

O futuro??

Não,não façamos planos...nunca sabemos o que nos separa da vida!

Beijinhos

emilio almeida disse...

cada dia que passa a vida me enssina mais na quilo que leio teu Emília beijos

Juliana disse...

Quanta beleza, Emília. O resto, em mim cala como mar silêncioso...