terça-feira, 26 de julho de 2011

Visões



 Tela de Steven Kenny

E veio uma luz em tal esplendor,
E uma voz que cantava, em segredo,
Para que a sua alma se colocasse em alegria.

Nascia uma fonte de gotas luminosas,
Que se derramavam espelhadas sobre o seu corpo.
Foi cercado por um rio de luz,
Que determinou ondas de misericórdia.

Os elementos dançavam a sua volta.
Levaram-no ao centro do mundo
Para que a virtude se manifestasse,
Descendo como um fogo celestial.

Escreveram o seu nome nas tendas e baluartes,
E fizeram sua semente resplandecer
Dentro de meu povo.

Sob os muros, uma voz gritava:
“Ele flutuará entre os pinheiros,
Levando a cidade pousada nos galhos.
Um anjo caminhará ao seu lado,
Livre, sentindo-se vento.”

10 comentários:

Arnoldo Pimentel disse...

Um poema tão lindo. Uma linda semana pra você, beijos.

Andressa disse...

mágico.

JOSÉ ROSÁRIO disse...

Talvez não tenha sido sua referência para o poema, mas parece a imagem de
Homero, um cego que fazia ver o mundo que não se deixava perceber. Belo poema!

docerachel disse...

José realmente foi um acalanto a um homem quase cego.

Obrigada pelas palavras de todos.

efa disse...

Libre y sintiendo el viento en la cara, que buena manera de terminar tu poesía.
Hacía mucho que no leía tus poemas y ya lo extrañaba.
Besos! cuidate

♥♥♥Ani♥♥♥ - Cristal disse...

Oi querida Rachel

Lindo Poema...
Passando para deixar um beijo e desejar um final de semana cheio de alegrias.

Ani

http://cristalssp.blogspot.com

Ishitori disse...

uau que lindo... amei

Augusto Dias disse...

Não consegui compor as imagens em minha cabeça enquanto lia, o texto me fez mudar diversas vezes o que se materializava em mente, me prendeu até o fim, deixou indecisa a imaginação.

Muito bom!

Um abraço!!!

O que Cintila em Mim disse...

Augusto este poema foi feito para alguém que por motivos vários sempre pensa na morte. É uma alento, uma prece para que ele se encontre e se regozije.

efa disse...

Pasaba a saludarte.
Besos!