sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Noite Morta

 Tela de Sol Halabi



Não tive lugar onde descansar
Porque me faltou a pedra.
O tapete cotidiano foi dilacerado
Por passos que guardavam o caminho
Que levava vento ao coração crepuscular.

Das sombras ecoavam relâmpagos
Que se desprendiam submersos em vertigens.
Eu estava invisível e era como o sal das águas.
Era levada por um vento de nevasca,
Enrolada em mortalha negra.

As noites se juntaram para formar
Uma aurora de silêncio.
Folhas se soltavam tocando o chão
Ferido de pedras.

Eu me emaranhava na última réstia de luz,
Sozinha dentro de meu vestido de espinhos.

A minha morada é um lugar de filamentos,
Musgos e uma densa nuvem de poeira dourada.
Reconheço tua voz rarefeita, teus pés de trovão,
Que me acorda inconsolável pela noite morta.

26 comentários:

Bípede Falante disse...

Parece difícil, mas ter uma moradia entre filamentos pode ser uma sorte.
Forte poema!

Betha Mendes disse...

Que poema forte e lindo!

bjs

Betha

Sonhadora disse...

Minha querida

Partilhamos o vestido de espinhos e as sombras da noite.
Como sempre que te leio...encontro-me.

Beijinhos
Sonhadora

Arnoldo Pimentel disse...

As noites formam auroras e muitas vezes não sentimos.Lindo poema. Beijos

Artes e escritas disse...

Os trovões, à noite, são mais feios. Ps.Tem um selo comemorativo dos 300 seguidores do artes e escritas esperando por você : http://selosarteseescritas.blogspot.com/2011/08/300-wwwarteseescritasblogspotcom.html
Um abraço, Yayá

Vais disse...

seiva que conduz vida à rosa
flor de laranjeira
uma história em versos

beijo docerachel

Ishitori disse...

nossa... fiquei impressionada, não consigo explicar ao certo o que sinto...

Paulo Roberto Wovst Leite disse...

Pode se imaginar que é apenas o amor, além da caridade que faz de você o que você é.
Podemos refletir...

Abraços.

cirandeira disse...

Bonito!, Rachel. O teu poema é cheio de símbolos e metáforas, cuja noite está cheia de seres invisíveis e plenos de VIDA!

Toninhobira disse...

Metaforicamente belo com a profunda reflexão do sentimento de amar numa melancolia que incomoda.Uma bela isnpiração Rachel.
Meu terno abraço de paz.
Belo fim de semana a voce.
Bju de luz.

JOSÉ ROSÁRIO disse...

Tudo aquilo que compomos de melhor, nos chega em noites mortas. Precisamos perder pelo menos alguma coisa para gerar vida, que seja pelo menos uma noite...
Abraço, Rachel!

efa disse...

Festejo tu regreso lírico, y que la noche no sea mortal.
Beso mujer!

Patrícia Pinna disse...

Boa tarde.Que poema forte o seu, bem como tudo o que você escreve!
Sua imaginação é bem fértil e diversificada.
Um beijo, e fique com Deus!
Excelente semana para você!

Lourdinha Vilela disse...

Lindo Poema.
Apesar dos espinhos, tens alma de flores. Amo poesia, já estou te seguindo.Um abraço.

Lourdinha Vilela disse...

Oi Rachel, estou começando a ler os seus textos, e confesso fiquei encanta. Já li "O CEGO"- Explêndido,
Quanta imaginação!Tenha uma ótima semana.

efa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
efa disse...

Te dejé en Matinée una bandera de Brasil para que puedas leer los cuentos traducidos al portugués.
Para vos, beso

Cuentame un cuento disse...

O que um belo poema, obrigado por compartilhar um beijo

Neuma Queiroz disse...

Rachel,
O que me resta é o elogio!! achei seu blog e sua escrita de uma delicadeza sutil, e ao mesmo tempo um ímpeto singular. Você escreve com Classe! Parabéns! fiquei encantada.

Estou seguindo-a, para não perder o caminho!

Abraço,
Neuma Queiroz

Moisés Augusto Gonçalves disse...

Denso...Tocante!

。♥ Smareis ♥。 disse...

Gostei do poema, e do blog, estou seguindo, e convido a conhecer meu blog, e seguir-me se gostares.
Beijos grande!
Smareis

efa disse...

Sólo pasaba x aquí a saludarte!
Besos mujer

Toninhobira disse...

Oi amiga,anda sumida.Tudo bem com voce?
Dê noticias, suas poesias precisam chegar até nós seus admiradores.
Bom fim de semana.
Bju.

O que Cintila em Mim disse...

É verdade, sinto. As vezes somos atropelados pela vida e fica difícil de se desembaraçar dos nós.
Logo mais postarei...prometo.

João disse...

Meu Deus, esse texto está muito bem feito, sério, gostei muito.. associação dele com a imagem está cem porcento aprovada hahaha abrçs

Anna Amorim disse...

Rachel,

Entre pedras-perdas, tua palavra, tua poesia.


Beijos,

Anna Amorim