sexta-feira, 3 de abril de 2009

Anjo Guardião

Tela de Marc Chagall



Estou cansada de fugir,

Cansada de mentir

Que não sei de ti,

De tua presença constante.


Sinto teu hálito de ar em meu rosto.

Teu roçar de penas

Em minhas costas quando me deito.


Amigo dos meus dias,

De meu coração inquieto,

Da chama que arde em meu seio.


Ainda estas comigo,

Mesmo que te negue cada dia

E que te renuncie todas as horas,

O nosso encontro cada noite.


Agora já não posso mais te negar,

Tenho a alma embriagada de ti

E a quero ainda mais

Nesse estado de euforia.


Quero que meu êxtase se agrave

E eu me dobre a ti.

Que o espaço entre nós

Seja eterno.


Minha alma é criança novamente

Se estas aqui.

Tua luz é como espada

Enterrada em meu coração.


Agita o meu vestido,

Transpassa minha calma,

Cubra-me com tuas asas

De anjo guardião.

2 comentários:

Leninha disse...

que seríamos sem esse anjo guardião...
nenhuma frase nasceria.
beijooooooooo e mimossss lindinha.

Dolores Quintão Jardim disse...

Amei seu Anjo!