quarta-feira, 1 de junho de 2011

A Minha Voz


 Fotografia de Eugeny Kozhevnikov


Ouça a minha voz
Que te fala com brandura.
Leva-a contigo,
No coração e na boca.

Fala por mim quando
Estiveres com os teus.
Dize com a minha voz,
Sobre a distância dos caminhos,
E sobre o silêncio que mora
Na alma das coisas.

Fala sobre os minutos
E o indecifrável tempo.
Dize que a solidão é líquida
E preenche um oceano.

Fala dos raios e dos trovões
Que açoitam como um chicote
O céu tenebroso e sombrio.

Sobre os negros insetos
Que adivinham o sangue
Nos corpos distraídos.

Que não resta mais nada
Sobre o céu.
Que só ficou um pó agonizante
Espalhado pelo vento.

Que o sabor amargo da vida
Deslizou para o centro de um corpo,
E que olhos viram
Dois seres perdidos, sem direção.

15 comentários:

Yasmine Lemos disse...

Rachel que coisas mais lindas! Nossa maravilha de ler.
Obrigada pela visita ,vamos ficar nos "seguindo"
beijos

Arnoldo Pimentel disse...

Muito lindo seu poema, faz-nos viajar em seus versos, beijos.

marlene edir severino disse...

Viagem de silêncios
Sensível celebração

Abraço!

Marlene

Toninhobira disse...

A linda viagem aos olhos da sensibilidade aguçada,que cria emoções maravilhosas num lindo poema de muita inspiração.
Aplausos Rachel.
Meu abraço de paz e luz.

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Oi, Rachel. Muito bacana o seu blog e o seu espaço, bastante comentado, no Rebate. Agradeço sua visita e seu comment em meu blog. Um grande abraço.

JOSÉ ROSÁRIO disse...

Já é a minha terceira visita nessa postagem. Não há como cansar de lê-la. Parabéns! Sei que ainda vou voltar mais...

Celêdian Assis disse...

Olá, Rachel!

Um poema forte que transporta a sua voz das profundezas de sua alma, para a beleza da poesia.

Seu espaço de poesias é muito rico e está lindo. Visitei também o blog de contos e muito apreciei. Aqui tem uma seguidora que valoriza a boa literatura.

Obrigada pela sua visita e também pela opção de seguir meu blog. Seja muito bem vinda.

um abraço,
Celêdian

Sonhadora disse...

Minha querida

Um poema escrito com os dedos da alma...profundamente sentido.

Deixo um beijinho e agradeço as palavras de carinho,deixadas no meu cantinho.

Sonhadora

Judy disse...

ótimo texto!!!
Adorei!

=)

Patrícia Pinna disse...

Boa tarde.Muito linda e verdadeira a sua poesia.
Traduz muito bem as relações.
Tive a grata surpresa de tê-la como minha seguidora no meu modesto e iniciante blog, do qual eu cuido com um carinho imenso.
Obrigada pela sua gentil visita, e fique à vontade para deixar o seu comentário, se quiser.
Excelente quinta-feira e tudo de bom.

Marcelo Portuária disse...

Tua voz ecoa pelos caminhos distantes, pelas sendas e veredas do infinito, levando um canto e uma prece; tua voz leva a sanha que a impaciencia impele a vez e o sentimento induz num enigma de plena consciência.
Continue a clamar teu vento.

Marcelo Portuária

Visite: alfarrabiosdeoutrora.blogspot.com
cidadaniadoscapitais.blogspot.com

PINTURAS NAÏF DE HELENA COELHO disse...

Rachelzinha vc é D+!!!!

Anônimo disse...

Vai odiar o comentário, principalmente eu sendo um estranho (e anônimo), mas já pensou em combinar os verbos com os pronomes dessa nossa flor do lácio, inculta e bela, já tão maltratada?

docerachel disse...

Obrigada senhor anônimo.

M.C.L.M disse...

"E sobre o silêncio que mora
Na alma das coisas..."

Por um instante lembrei de Clarice.

Belíssimo poema, assim como todos os escritos do blog, sensíveis, maduros!

Abraços e sorrisos...