domingo, 22 de fevereiro de 2009

Fome Estranha


Foto de Emma Hack


Vem saciar-me

Desta fome estranha,

Que cresce e me possui.


Vem alimentar-me

Daquilo que enlouquece,

Daquilo que cega

E que me alucina.


Meu desejo é chama

Que arde eternamente,

Que vem de não sei onde,

Que não tem fim nem começo,

Que está aquém de mim.


Atenda-me agora,

Interpreta-me com teus dedos,

Com tuas interrogações,

Com teu olhar de desejo,

Que incendiarei para ti.

Um comentário:

www.manuelmarques.com disse...

Que nos aproveitamos de sermos fracos e pecadores para que entre cada encarnação possamos incendiar e permitir-nos incêndios sem fim nos nosso corpos efémeros de beleza!

Bravo Rachel!