quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Redonda Lua

Fotografia de Sergio Motta



Vi a Lua orbitar em céu profundo,

Revirar-se redonda, maternal,

Espelhar-se quieta,

No cosmo denso e nebuloso.


Pontos fosforescentes

De pequenas estrelas,

Piscam para mim

Como olhos de gato.


O passeio da Lua

No ventre do céu

Desenha um barco,

Fino casco a balançar

No imenso mar.


Ela, grávida

De inexistente éter,

Só querendo se mostrar.

2 comentários:

Bianca F. disse...

Doce Rachel..
Sempre a preparar para todos nós uma bela surpresa..teu blog!
Estou encantada com as tuas poesias aliadas ao bom gosto estético deste espaço.
Parabéns amiga ,e que nunca falte a ti a inspiração para novos versos e prosas!
Meu carinho e fraterno abraço.

www.manuelmarques.com disse...

Espero que não te incomode tanto comentário,não sou propriamente de comentar onde quer que seja, mas fascina-me ler-te.

Lua é Mulher e ambas fascinam-me!

Parabéns pelo que proporcionas a quem te lê, isso (como ambos sabemos) é o que nos dá força e imaginação, vinda não se sabe de onde, para continuarmos!