sábado, 5 de março de 2011

Cantarei em sua Boca





Tela de Bruno Di Maio


Manso e invisível, dorme
O meu corpo, lembrando a morte.
Estou dentro das lágrimas,
E as trevas me acariciam,
Adensam-se me afogando,
Destruindo todas as cores.

Imperfeita, percebo a noite
Brotar em corredeiras de vigília.
Reencontro de imagens que se formam,
Por eu ter bebido sua boca.
A terra exulta meu corpo.
Canta através de substâncias
De meu sangue.

O silêncio transporta a morte
Que navega embriagado
Sob meu espírito.
Agora estou entre os seus dedos
E sinto seu instinto despudorado
Invadir-me com melodias
E uma alegria faminta.

Depois que eu renascer,
Encantarei a noite.
Trarei uma harpa e tangerei
Cordas em ondas.
A imagem de um dorso
Florindo lírios,
Impregnado e tenso,
Tocando a loucura do tempo
Nas cordas dessa pele alba,
Será eterna.

Incendiarei todos no caminho,
Para não me fazerem sombra.
As mãos estarão luminosas,
Inteiras para a beleza
Que descerá e principiará
No centro de meu corpo.

Um vinho colhido nas colinas
Será bebido na entrega dos sonhos.
Todas as coisas esperadas
Surgirão de minha fecundidade,
Mostrando o espanto da oferenda.

Os instantes de brandura e inocência
Acolherão a intimidade
Que estará pedindo arrebatamento.
Toda minha carne tremerá
De violento desejo.
O ritual confundirá o vento
Que fará transporte de meu perfume,
Juntando o seu tremor ao meu.

Minha voz cantará em sua boca,
E sua intimidade será minha.
Seremos consagrados pela
Escuridão da noite
Resvalando até a insuportável loucura.

Nenhuma gota será perdida.
Rasgarei meu vestido,
E meus seios estarão nus,
Como montes de nuvens.
O verão entrará em nossos corpos,
Aspirando o consolo do sono
Depois do amor murmurado
Em êxtase.

E quando eu colar minha face a sua,
Teremos o mesmo ar
Dentro da mesma ternura.

15 comentários:

Vozes de Minha Alma disse...

Raquel
Um hino, cantado com a alma mais sensível que possa existir, numa simbiose perfeita.
É ternura, é amor, fecundados num ritual sublime...
Abraços, bjs

Van disse...

Que beleza Raquel

que delicadeza na expressão, que profundidade você deu a um momento. Daqui imaginamos perfeitamente, até as gotas de suor e êxtase se pode sentir te lendo, e o afeto a ternura.

Lindíssimo poema

O que Cintila em Mim disse...

Vcs parem com isso, que fiquei arrepiada, rsss.

Obrigada

R.B.Côvo disse...

Gostei muito do texto. Abraço.

manuel marques disse...

Fantástico.

Abraço.

paulo disse...

Muito bom....
Não sou tao sabio qnto vc,por isso nao entendi muito bem seu comentário...Porém vc escreve muito bem,parabens

Paulo Roberto Wovst Leite disse...

Êxtase define bem tudo, poema e sensações ao lê-lo.

Abraços,
Paulo.

Regina Coeli Carvalho disse...

Menina,
O que cintila em você é doce poesia.
Parabéns!
Abraços.

Macário Campos disse...

Espetacular, só mesmo uma grande artista, provida de uma imensa sensibilidade é capaz de criar coisas tão belas.

Tatiana disse...

Isso sim é ter a poesia pulsando nas veias...
Lindíssimo!
Desejo um dia lindo para você!
Um abraço carinhoso

ONG ALERTA disse...

Lindas palavras, beijo Lisette.

Erica Gaião disse...

Rachel,

Que beleza de poema... Gostei muito daqui. Aliás tudo aqui é poético. E cintilou em mim!Parabéns pelo seu lindo Blog e pelo talento também.

Beijos

efa disse...

Tiene canto y sensibilidad!
Además de lo bien escrito que está!
Besos a vos

A.S. disse...

Belo! Intenso! Sensual!... Nas palavras do poema navego, nelas naufrago e nelas me afundo... com prazer!...


Beij0s meus,
AL

O que Cintila em Mim disse...

Obrigada a todos, pois estou iluminada!