sexta-feira, 6 de março de 2009

Novo Dia

Tela de Bocklin


Vê o que te deu

O inicio de teu dia.

Vê a sombra

Que se esgueira nua,

Arrastando lentamente

Trazendo agonia.


Cria tu asas e voa,

Fuja do inicio de teu dia.


Vê tua sombra sob o lodo

E eu voltada para ti,

Visão de anjo.

Subo sozinha

Levando carícias estonteantes

Apartando de ti

Recordações de amante.


Quando estivermos longe

Apartados pela noite negra,

Eu te direi:

Recomece e tente um novo dia

2 comentários:

www.manuelmarques.com disse...

'...se por acaso ao acordares deres pela falta do amor que sentes pela vida não desesperes, canta com o sabor dos amantes no primeiro dia de descoberta da carne, talvez revivas a fantasia...'

Eu recomecei um novo dia, já recomecei alguns desses dias.

E mesmo quando parece que o Sol se vai para não mais voltar levanto-me sempre e faço deste poema a minha missiva para quem eu goste e queira desistir!

«recomece e tente um novo dia»

Beijinhos!

docerachel disse...

Vc é o mestre das palavras Manuel.