segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Lobos



Tela de Wassily Kandinsky

Introduziram-me num
Círculo de lobos famintos.
Caminho descalça,
Saltando sob as brasas
Que caem de suas bocas.

Ando num mundo novo,
Mas as pessoas são velhas,
Suas mentes apodreceram.
Elas têm medo de minhas palavras.

Agora querem me encerrar
Numa torre de pedras.
O meu coração é um tambor
Apanhado no sótão dos loucos.

Toca violentamente
A favor dos excluídos
E de mim mesma
Que sonha utopias
De rimas inesperadas.

Essa é a realidade atroz
Numa atmosfera morta,
Que caminha em desacerto
Com esse mundo insano.

Premiado delo Concurso de Poemas da PP.

2 comentários:

Joachin disse...

Ah, essa indisfarçável ternura pelos perdedores e excluídos. Isso é alimento para o espirito e tem inspirado composições artísticas tão grandiosas... Tens mais um admirador dos teus escritos, entre muitos que devem existir.

docerachel disse...

Obrigada Joachin!