domingo, 26 de dezembro de 2010

Teu Serei


Tela de Anna Lea Marritt


Ouvi sua voz que me dizia
Para eu resistir.
Suas palavras eram complexas
E diziam numa impecável retórica:

“Não desista de mim,
Mesmo que penses que sou
Apenas uma alucinação,
Que nada mais resta para contar.
Não desista, eu estou aqui.
Vou abrir-te como a uma rosa,
Dar-te os sonhos que sonhaste.
Desviarei dos caminhos tortuosos,
Encurtarei as distâncias,
E quando no céu apontar a lua,
Teu será o que outras mãos
Detém agora“.

(Ganhou concurso de poesia da Proibido Proibir - premio Cell)

Um comentário:

Kárcio Sángeles disse...

Olá Rachel,

Teu blog é inefável, tuas poesias são carregadas de materia abstrata de sonhos e de cores, de crepúsculo e quintessência.

Parabéns pelas lindas palavras.
Obrigado pela visita ao ECOS DA ALMA.

Forte abraço!!!