terça-feira, 19 de junho de 2007

Sombra

Tela de Frank Weston Benson

Cada dia suporto duras penas,
Pesadelos me atormentam,
Pois é o âmago da pena,
Que se cola em mim.

Vou entregue e desprotegida,
No todo e em tudo,
Ouço um suspirar que não quero ouvir.

Sombra agoura de pesar tormento,
Afaste seu manto desse meu penar.
Risca-me de seu pergaminho,
Esquece a ressonância de seu farejar.

Sinto o tempo que se vai ligeiro,
Apagando a ninfa de meu existir.
Choro réstias de um clamor de chamas,
Que extingue a chuva desse meu porvir.

Afaste de mim coroa e flores,
Por mais que as ame e me lembre amantes,
O barco de rosas que gira a minha volta,
Não me trás alivio nem por um instante.

Esqueçam as minhas pegadas,
Que ainda querem rodear caminhos.
Se em cem anos quiseres voltar,
Quem sabe então, me envolverei em linhos.


Um comentário:

arterapiaanamaria disse...

Esse estar romântico sentido..kkk
Não me trás alivio nem por um instante.

Lindo!
Beijos.

Ana Maria