quinta-feira, 3 de maio de 2007

Liberta

Pintura de Hamid Rahmat



Eu queria ter um espírito mais livre,
Mais ávido a festas.

Queria perder-me neste vasto mundo,
Deixar-me ir pela vontade.

Rir as gargalhadas de tudo e de todos,
Envenenar-me de delícias,
Viver todos os pecados
Entregando-me inteira a eles.

Minha alma se soltaria
Não cabendo mais em meu corpo.
Queria abrir os meus braços e voar,
Irradiando uma chuva de energia.

Arderia como uma sarça divina,
Convencendo-me que vivo
No âmago de meu existir.

Que entre meus joelhos dobrados
Há vida fecunda,
Que emergiria dissipando o prazer,
Tornando-me calma.

E seria uma árvore
Carregada de frutos
Que recostada dormiria
Em êxtase vitorioso.

Liberta de todos
Os gestos superficiais,
Teria consolo
Nas pequenas insignificâncias,
Espalhando-me livre
Por todo o mundo!

2 comentários:

Convidados disse...

Doce Rachel!
Liberdade....
Se fosse tão livre como queres!
Eu não estaria lendo esta maravilha de poesia...
A liberdade ainda é um tiro na agua...
Escreveste o que eu penso...
Parabéns linda!
Beijos.
Ana Maria

maria emila almeida disse...

aí querida Rachel!
que bom que era se tu podesses
mudar a Liberdade
como a transmites aqui
Um doce beijo adorei Passar aqui
Mil beijos
Emilios