segunda-feira, 7 de maio de 2007

Aparência

Pintura de Zygmunt Waliszewski



Vi um homem
Ser reduzido à geometria
Simples da aparência.

Ele era como
Um templo grego,
De mármore negro tumular,
Oprimido por uma
Austeridade opressora
Que profanava seu olhar.

Curtido estava
Em obsessões e segredos.
Entregava-se com fascínio
A um imaginário
Que o reduzia a culpas.

Tinha uma imagem
Ordenada de si mesmo,
Mas era uma densa
Floresta de folhas secas.

E nessa reduzida
Aparência geométrica
Que simplificava tudo,
Via-se uma estrutura
Singular de forma humana.

2 comentários:

Luiza Caetano disse...

Lindoooooooooooooooooo!

RACHEL,

Segues o caminho da Luz,
te inundas dela
e
irradias
como uma bela
borboleta colorida

Beijos
lc

Adonize disse...

Ainda bem que possuis um coração magnânimo e se doa para todos nós! Obrigada pelo que escreves, obrigada pelo que sentes, obrigada por tudo que está aqui, nestas palavras lindas, viajantes e ...cintilantes!